quinta-feira, 14 de agosto de 2008

Estradas e Rios

Não que certas experiências não sejam válidas, mas a vida é um rio

finito que segue seu fluxo minuto a minuto, portanto...

E que hoje seja o começo, e que o ideal seja mantido, e que as nuvens

de tribulações dissolvidas como a noite em plena aurora.. e que seja

assim minha vida.. Uma nova aurora, uma AURORA....

Que aconteça, que seja válida, e não cheia de curvas enganosas,

cheia de desculpas ridículas, cheia da dissimulação dos que permiti

serem próximos. E que sim, uma vida com experiências

válidas e positivas, longe das mentiras de falsas vidas, de falsas almas.

Não arcarei também, com a carga que cada ser, enquanto um ator

de seu teatro elabora, de modo pífio, ordinário e de veras belo, seja

belo pelas conseqüências na minha, ou na própria carne. Porque é

verossímil os acontecimentos anteriores, como em uma reprise

melancólica, e na agonia de um passado falante se sabe o paradeiro

de um ser errante, erros iguais, vidas diferentes, seja como for,

cada ator carrega sua obra, seja no palco ou no relato de

suas peripécias pelo terreno sombrio do coração

pisado, tocado, e corroído.

Obrigado então nesse final sem emoção, sem sentimento, sem amor.

Pos a verdade assim como a rainha Luna, torna alva o solo das

trevas da noite...seja assim feliz, e tenha na cabeça cada opção,

cada lacuna preenchida, cada passo dado em direção a seus

objetivos, quem sabe um dia a liberdade seja plena para cada

um de nós. Mas se você não, eu... pelo menos eu, sei mas um

pouco desse universo, decadente, hipócrita, e que possui

um sorriso lindo, tanto quanto alguns minutos da flor

da bromélia mais rara, porém assim como a mesma, é efêmero.

Portanto, lampejos de beleza é o que a flor aproveita,

nesse seu florescer tão belo, tão curto, tão frio, tão derradeiro.



G Machado.

Nenhum comentário: