quinta-feira, 21 de julho de 2011

Diuturnamente



Cotidianamente acordo e vivo

Floreço matutino na manhã de um novo tempo

Todo dia,

E de novo.

Marco visitas e almoços

Almoço todo dia

De novo.

Intercalo ligações e sonhos

Banhos e medos

Dias de chuvas e falsas declarações

Cotidianamente.

Floreço em mim

às vezes triste

às vezes cansado

às vezes sem saco

Todo dia

Cotidianamente

Mas às vezes

Raramente

Tenho a impressão

Que tudo é igual

Diuturnamente.


Gledson Vinícius

Dica do Porão:

curta a página da Poeme-se no Facebook: http://www.facebook.com/fbpoemese
conjugue o verbo poemar: http://www.picbadges.com/poeme-se/1958171/

2 comentários:

Kaic Aude disse...

Belo porão. Sairia um pouco dele pra conhecer minha Taverna? Um abraço!

Gledson Vinícius disse...

claro Kaic...